Da minha janela vejo

São histórias vistas deste ou daquele lugar. São observações escondidas, histórias imaginadas ou com vontade de o ser. Espreitando pela janela vemos tudo, vemos o mundo, imaginamos o que não conhecemos. Por vezes não vemos nada ou vemos o que não queremos. Estas peças sugerem retratos, pedaços de história de cada um ou ainda uma aproximação à história do próximo. Podem ser visões quase fotográficas de paredes desenhadas a ferro forjado; ideias românticas do passar do tempo, dos usos e costumes, dos testemunhos, fragmentos da memória…

Leave a Comment